TikTok expande possibilidades para o video content

É difícil encontrar alguém que passou ileso pelo TikTok em 2020. Mesmo cuja curiosidade não foi suficiente para baixar o aplicativo, ao menos já viu algum dos vídeos de dancinhas que viralizam todos os dias ou criança que é uma febre entre adolescentes. Porém, em pouco tempo, uma rede social chinesa teve um boom e se transformou em um espaço poderoso para marketing e construção de marcas. 

 

Lançado em 2016, na China, e liberado para o resto do mundo no ano seguinte, o TikTok já atingiu uma marca de 2 bilhões de downloads, segundo a Sensor Tower, algo antes só alcançado por apps da família Facebook. Esse crescimento está atrelado a uma combinação de fatores, como os recursos inovadores que a rede oferece, como mudanças de comportamento dos usuários e o acirramento do consumo de vídeos online devido ao isolamento social na pandemia que nos assolou em 2020. 

 

Em primeiro lugar, o TikTok aparece como um espaço de criação e consumo de conteúdos audiovisuais educativos, informativos e divertidos de maneira descomplicada e via smartphone. Além disso, o app oferece ferramentas de edição e funcionalidades inovadores, que outros apps ainda não possuem. Outro fator relevante é que seu foco são vídeos de curta duração, tendência que já vinha se consolidando nos anos entre as estratégias de marketing. 

 

Apesar de a maioria dos usuários (40%) ainda pertencer à geração Z (16 a 24 anos), o perfil já se expande para outras faixas. Adultos entre 35 e 55 anos de idade somaram um aumento de 24% dos acessos e o grupo daqueles com mais de 55, um acréscimo de 14%. Ainda, um estudo divulgado pela GlobalWebIndex aponta que 90% dessas pessoas acessam a rede todos os dias. 

 

Assim, o TikTok é mais um canal para complementar, experimentar e dinamizar campanhas de conteúdo de vídeo, escolher os tipos de conteúdo que combinam mais com os demandas de seus criadores e consumidores. Uma ideia é uma marca e uma diária de gravação de um vídeo institucional ou campanha mais robusta para produzir diversas pílulas direcionadas ao app. Artistas, por exemplo, têm divulgado pedaços de seus componentes em seu perfil. 

 

A quantidade expressiva de downloads do app chinês deve-se muito ao fato de que a concentração de usuários é de regiões asiáticas populosas. Porém, em locais como EUA, Europa e Brasil, onde o número ainda não é tão grande se comparado ao de outras redes sociais, há oportunidade para crescimento orgânico, criando uma conexão mais genuína com os fãs da plataforma. Há espaço não só para conteúdos próprios, mas também para conteúdos criados em parceria com um digital influencer. 

 

Aos poucos, o TikTok mostra que tem potencial para bater de frente diretamente com Instagram, Youtube e Facebook e remodelar algumas lógicas do mercado. A rede inclusive lançamentos sua versão Business, voltada à monetização de conteúdo de marca e ampliação de funis de venda. As empresas que conseguirem se inserir nessa lógica de maneira autêntica podem esperar bons frutos nos próximos anos. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *